A água que nos mantem vivos

É sabido por todos que nossa estrutura celular é basicamente composta e mantida pela água. Portanto biologicamente falando Água é vida.

Nosso planeta é o único no sistema solar que contém 71% de sua superfície coberta por ela. Tanto que sempre que os cientistas tentam identificar a possibilidade de vida em qualquer confim do universo, buscam sempre descobrir se em suas superfícies existe água.

Na terra a água está presente em rios, mares, oceanos, e nas águas subterrâneas que não estão visíveis e isto perfaz uma ocupação de 2/3 da superfície terrestre. Porém vale lembrar que 97,5% deste total é composto por água salgada é somente 2,5% é composto de água doce (potável). Destes 2,5%, pasmem, somente 0,007% é próprio para o consumo humano.

Como vemos, fica muito claro a importância de sua preservação e conservação. Tanto que recentemente temos ouvido muito falar em consumo responsável e sobre os riscos do esgotamento deste recurso vital.

Olhando especificamente para o nosso país estimamos que 12% da disponibilidade de água doce do planeta está no Brasil, incluindo nossas grandes reservas subterrâneas do aquífero Guarany. Mas a distribuição natural desse recurso não é equilibrada. A região Norte, por exemplo, concentra aproximadamente 80% da quantidade de água disponível. Porém, nesta região está estabelecida apenas 5% da população brasileira. Já nas regiões próximas ao litoral encontramos 45% da população, e somente 3% dos recursos hídricos do país.

No Brasil, 71% de nossa água doce é consumida pela agricultura, ou seja, para produção de alimentos e outros bens energéticos. 9% é consumido pela pecuária, 6% pelas indústrias e 10% pelos domicílios.

É responsabilidade de todos nós o uso responsável da água já que apesar de ser renovável, seu consumo desenfreado pode gerar seu esgotamento. Quando a água é usada mais rapidamente do que a natureza pode reabastecê-la, mudanças sérias em todo o ecossistema e desastres ecológicos são observados.  

50% de todas as áreas úmidas da terra desapareceram no último século e por decorrência mais de 3500 espécies, incluindo peixes e anfíbios, estão em perigo de extinção. Um quarto de todos os ecossistemas fluviais está em risco de desaparecimento e apenas as partes mais altas dos rios estão livres de poluição.

Finalmente, as pessoas também sofrem com a falta de água. Muitas regiões do mundo estão sujeitas ao estresse hídrico, uma situação em que a demanda por água é maior do que a quantidade disponível. Aliás algo que a metrópole paulistana, especialmente as áreas dependentes do sistema Cantareira, tem experimentado constantemente através de racionalização de sua distribuição.

Depois de observarmos todos estes dados, alguns deles alarmantes, fica claro o quanto a conscientização de todos é importante.

E nós Demolays? O que podemos fazer para contribuir com esta ação importante?

 

Neste 22 de Março, dia mundial da água, nós do GCESP, Grande Conselho Estadual da Ordem Demolay para o Estado de São Paulo, gostaríamos de incentivá-lo a, primeiramente, fazer um exame de consciência revisando seus hábitos e condutas em relação ao seu uso.

 

Em segundo lugar, a ser um porta voz junto ao seu capítulo, sua família, e sua escola, sobre esta importante necessidade de mudança de habito.

Anote e multiplique estas dicas importantes e úteis:

1 – Tome banhos mais curtos

2 – Feche o chuveiro sempre que possível.

3 – Mantenha a torneira fechada.

4 – Seja um excelente caça vazamentos.

5 – Limpe sempre a seco antes de lavar com água.

6 – Evite ao máximo utilizar-se de mangueiras.

7 – Utilize vassouras para limpar calçadas.

8 – Monitore sempre o funcionamento da sua caixa d´Água.

9 – Reaproveite a água

10 – Considere sistemas de reutilização de água.

11 – Preserve e trate a água de piscinas.

12 – Lave suas roupas somente quando for necessário.